• @ara

Amesterdão, cidade das cores, cheiros, canais, cultura e coffee shops, onde nos sentimos sobre rodas


Amesterdão e a sua rede de 120 canais que lhe valeu a classificação de Património Mundial da Humanidade, é uma cidade: diferente, estranha e perturbadora. Foi assim que foi classificada pela rapaziada cá de casa.

Já tinha estado em Amesterdão no ano 2000 por altura do Europeu de Futebol. Nessa altura, acho que não fiquei a conhecer o Amesterdão de hoje. A ideia que tinha era de uma cidade vestida de laranja, sempre em festa, cheia de balões e bandeiras, as ruas cheias, os cafés e esplanadas a transbordar e muita cerveja no ar. Não retive os canais, os prédios, as ruas, nem as bicicletas. Para mim tinha ficado a imagem da festa que ocorria na cidade e a zona rural que visitámos na altura.

Hoje fiquei com uma outra imagem...para mim é uma cidade diferente, pela sua arquitetura e características muito próprias. Confusa, pela quantidade de bicicletas e motas que andam por cima de nós e porque muitas vezes andamos às voltas e parece que não saímos do mesmo sítio. Intensa, pelo estilo de vida que leva e pelos diferentes estímulos que nos proporciona. Colorida, atrevida e encantadora ao mesmo tempo!


HALLO AMSTERDAM!
Durante os próximos 4 dias: I am Amsterdam!


Roteiro de 4 dias

Chegámos no voo de sexta-feira à noite para garantir que sábado começávamos cedo e descansados. Quando somos mais do que 2 tudo demora muito mais tempo a acontecer!


1º dia

O primeiro dia seria dedicado a explorar a cidade, a pé e de barco. Começámos pelo centro histórico, ou seja, pela praça principal - DAM SQUARE, onde fica situado o Palácio Real, a nova Catedral - Nieuwe Kerk, o Obelisco - monumento Nacional construído em homenagem aos soldados holandeses falecidos na Segunda Guerra Mundial, o famoso museu de cera da Madame Tussaud e o principal centro comercial da cidade - De Bijenkorf.

Optámos por não visitar nada e limitámo-nos a observar o ambiente. Daqui partimos para a Oude Kerk, ou antiga catedral, que se trata do edifício mais antigo de Amesterdão e está situada na Red Light District. Decidimos entrar.

Oude Kerk é a primeira igreja em Amsterdão e o prédio mais antigo da cidade (1306). Dedicada a Saint Nicolas, santo patrono da cidade, em 1566, por conta do movimento iconoclasta ficou sem imagens, altares e objetos de ouro ou prata foram destruídos ou roubados. Em 1587 passou de igreja Católica a Protestante. Mais do que uma igreja, tornou-se num monumento histórico e um centro de exposições de artistas contemporâneos.

Já que estávamos por ali passeamos pelo Bairro. É giro ver a perspectiva diurna e noturna do mesmo.

Ficámos logo a conhecer a rua mais estreita da cidade - Trompettersteeg, um beco imperdível e muito característico da zona e que mereceu esta frase do meu filho mais novo: - ¨ Esta cidade é muito perturbadora!¨

Também aqui fica o famoso Coffeshop - The Bulldog, a funcionar desde 1974. Atrevam-se!

Seguimos a nossa direção para o Bloemenmarkt, famoso mercado de flores e souvenirs, aberto diariamente. Atenção que não podem tirar fotografias!


E com o fantástico dia de sol que estava, esperava-nos um almoço super agradável e com uma vista surpreendente - Blue Amsterdam - Winkelcentrum Kalverpassage, Singel 457 . Não fazem reservas, mas vale a pena tentar. No limite apreciam a vista. Atenção à entrada!

Depois do almoço fomos apanhar o City sightseeing Hop on Hop Off barco no ponto 6 - Amesterdam Ice Bar, que fica em frente ao edifício Nationale Opera & Ballet.

Nota: Comprámos os bilhetes previamente através do site, porque nem todos os pontos de paragem vendem bilhetes. Comprámos o de 24h, mas também têm disponível o de 48h. Nesta altura do ano, apenas a linha verde estava a funcionar. Existem inúmeras opções de excursões nos canais e muitas delas combinadas com outras atrações, como por exemplo, a Heineken experience. É uma questão de verem o que vos dará mais jeito.

O barco oferece audio guide em diferentes línguas que vai contando a história das várias zonas de Amesterdão e dos respectivos edifícios. No nosso caso, apenas alguns tiveram esta opção porque outros aproveitaram o bom tempo para apanhar algum sol na cara.

A ideia inicial seria sair logo no ponto 7 - Albert Cuyp Market - mercado de rua onde encontram tudo e onde devem provar as originais Stroopwafels, na barraca 180 do mercado. Mas a preguiça era mais que muita e tínhamos acabado de entrar e é tão bom estar relaxado e ir vendo as pontes, os edifícios tortos, estreitos, coloridos, enfim ...diferentes, como dizia o mais novo! Sem stress, a apanhar ar, uma fotografia aqui outra ali e chegámos ao ponto 2 - A'DAM Lookout / Amsterdam-Noord. O mal foi não ter comprado os bilhetes antes...assim provavelmente teríamos subido à torre e talvez alguém se tivesse aventurado a andar de baloiço nas alturas...ficará para a próxima. Assim sendo, demos a volta completa sem sair uma única vez do barco. Será que conseguem igualar esta proeza?

Saímos calmamente no ponto 5 - Gassan Diamonds e como só tínhamos jantar às 21h30, tentámos ir beber um copo ao Ice Bar. Mas os menores de 18 anos não podem entrar e para além disso, convém marcar com antecedência uma hora de entrada. Nada está perdido...vamos ver o início da noite no Red Light district e passear pelas ruas do centro. Fizemos a Oudezijds Voorburgwal até à Dam Straat e descobrimos uns churros fantásticos no Rene's croissanterie... tenho a certeza que também vão descobrir!

E já bem perto do hotel, chegou a hora de jantar no The Chicken Bar. Que maravilha! Não subestimem o nome...é o restaurante nº 8 no Tripadvisor e tem as famosas batatas Vleminckx fries, que também podem comer na rua.








2º dia


O Van Gogh estava à nossa espera às 10h30, conforme mail recebido dois dias antes a relembrar o programa.

Dear Ana Aguilar,

We look forward to welcoming you at 10:30 local time on  3 March 2019. Please watch your welcome video and visit our website for useful tips for your visit.

Para mim a visita começou logo com o video...senti-me logo parte da família e só por isso valeu ter comprado os bilhetes online.

O museu Van Gogh foi inaugurado em 1973 e possui a maior coleção mundial de obras do artista. Conta-nos ainda a história da sua vida. Para além da pintura, Van Gogh também era um apaixonado pela escrita e podemos ver algumas das cartas que escreveu ao seu irmão Theo. É o museu mais visitado na Holanda.


Every cloud has a silver lining - letter #801

E tem mesmo, porque apesar da chuvinha desse dia nos ter estragado os planos, presenteou-nos com a visita de uma amiga de longa data e que vive há alguns anos na Holanda.

Museu visto a ideia era ir passear para o Vondelpark e dar uso às famosas 2 rodas...mas passámos ao lado e fomos diretos ao Foodhallen - Bellamyplein 51.

O espaço é muito giro, fora e dentro da área gastronómica. O Foodhallen é um género de mercado, onde encontramos vários quiosques com comida internacional, desde espanhola, vietnamita, tradicional, italiana, japonesa entre outras. Como em qualquer sítio deste género o mais difícil é arranjar onde sentar, especialmente se formos muitos. É só ter um pouco de paciência, porque depois vai valer a pena. Existe uma sala, tipo bar, no piso superior onde é mais fácil arranjar lugares. Esta sala tem uma mesa de matraquilhos e televisões a passarem desporto. Também existem restaurantes com lugares marcados - Canary Club, com espaço para deixar as crianças e o Draw47.

Experimentámos o The Butcher, Jabugo e Meneertemaki. Mas o Viet View, o Dim Sum Thing e o holandês De Ballenbar também têm muita saída.

No complexo, que é um antigo edifício industrial, há ainda um cinema, uma biblioteca, lojas - vejam a The Maker store, 1 hotel - De Hallen Hotel e apartamentos para alugar, ateliers e espaços para conferências.

Vale a pena dedicar algum tempo ao De Hallen Amsterdam. Explorem!

Chegou aquela fase do dia em que cada um quer fazer o que lhe apetece. Acho muito bem, mas quem ficar comigo é para passear!

Para tentar agradar a todos os gostos fomos visitar o Houseboat Museum - Prinsengracht 296 K - e sinceramente gostei de conhecer. Uma coisa tão típica em Amesterdão e que nos suscita tanta curiosidade à medida que vamos passando pelos canais. Why not? O Hendrika Maria tem + de 100 anos e 80m2!

Um bocadinho contrariada lá fui até ao Museu da Tortura / Torture Museum - Singel 449, porque tenho um filho apaixonado por história e queria muito visitar. É pequeno, pelo que o sofrimento passa rápido e já tinha uma desculpa para ir perder alguns minutos (30) numa fila para comer as famosas, típicas e únicas Stroopwafels. Simplesmente deliciosas! Fomos à Van Wonderen Stroopwafels que fica na Kalverstraat 190, 1012 XH .

E ainda nos faltava a Heineken Experience - tínhamos entrada agendada para as 18h. Comprámos a opção do tour normal. Existem mais 2 opções: a VIP e a Rock the City. Foram 2 horas muito bem passadas e os miúdos adoraram. É uma experiência bastante interativa e divertida. No fim, temos o bar à nossa espera e Prost!

Acabámos o dia a jantar no Hard Rock Café que fica 900m da Heineken, na praça Max Euweplein, junto ao Casino e cheia de restaurantes e bares.



3º dia


Tínhamos preparado uma surpresa para os miúdos e no fim acabou também por ser para nós...um Escape room! Foi um sucesso. Foi tão bom, mas tão bom, que ainda tentámos fazer outro, mas já não tínhamos horas. Fizemos o Escapist - Leidsegracht, 108-SOU. Por razões óbvias não vou poder contar nada, a não ser que conseguimos superar o desafio!

Como estava um dia bonito passeámos pelas principais ruas das lojas: Leidsestraat, Prinsengracht, Herengracht e Kerkstraat. Acabámos a almoçar no Café de Jaren, estrategicamente situado entre Muntplein e o National Opera & Ballet, ao lado do canal de Kloveniersburgwal e que tem uma esplanada fantástica mesmo em cima do rio Amstel.


Na parte da tarde tinha previsto ir até Haarlem. Fica a 15 minutos de comboio, partindo da estação central de Amesterdão. Haarlem foi em tempos uma das mais poderosas províncias da República Unida dos Países Baixos. Fica localizada nas margens do rio Spaarne, a cerca de 20 km oeste de Amesterdão e próximo das dunas costeiras. Durante séculos, tem sido o centro histórico da produção de bolbos de tulipas sendo o seu maior centro de comércio. Por esta razão, mantém o nome de ‘Bloemenstad’ (cidade das flores). A cidade também é famosa pelos seus muitos Hofjes (casas típicas da Holanda). Estas construções, geralmente rodeadas por largos jardins, consistiam na sua maioria, em casas privadas fundadas para receber mulheres idosas e sozinhas. Desde a Idade Média até o início do século XX, Haarlem ficou também muito conhecida pela sua cerveja. Entre 1620 e 1640, havia cerca de 52 cervejarias em Haarlem. Em 1995, para comemorar 750º aniversário dos privilégios da cidade, a primeira cerveja Jopen foi preparada de acordo com uma antiga receita de Haarlem de 1501: o "Jopen Hoppenbier". Correu tão bem que abriram a sua própria cervejaria "Jopenkerk" no centro de Haarlem, dentro de uma Igreja.

Não fomos mas deixo-vos as dicas. Penso que meio dia chegaria para mudar de ares. Os bilhetes de comboio compram-se online, por exemplo através do site: https://www.trainline.com.pt/.


Os principais pontos de atracção de Haarlem são:

1. O Grote Markt (praça central), conjuntamente com a Camâra Municipal, o Vleeshal (antigo mercado de carne, agora um museu de arte), o Hoofdwacht (edifício do relógio) e a Grote ou Sint-Bavokerk (catedral aberta das 10h-17h)

2. O Museu Teyler (o museu mais antigo dos Países Baixos) - fechado à segunda-feira

3. O Museu Frans Hals - fechado à segunda-feira

4. O moinho De Adriaan (aberto das 13h-17h)

5. A Porta da Cidade: o Amsterdamse Poort

6. A estação de comboio de Haarlem (art nouveau ferroviária)

7. O Teatro De Toneelschuur

8. O Corrie ten Boom Huis - Conhecido como "o esconderijo”, Corrie usava um compartimento secreto no seu quarto para esconder centenas de judeus até que pudessem sair em segurança. Em 1944, a família foi traída e enviada para campos de concentração, onde três morreram. Corrie sobreviveu e percorreu o mundo defendendo a paz.

9. Jopenkerk (aberto das 10h-01h)

10. De Gouden Straatjes (the golden streets) - 7 ruas de comércio


Sonhos à parte, de volta à realidade de Amesterdão, uns foram descansar e visitar a loja do Ajax, outros foram para o Moco Museum - The Modern Contemporary Museum, onde eu estava incluída! Foi uma tarde fantástica e super divertida com Banksy, Warhol, Dali, Haring, Hirst, Kusama & Arsham e Roy Lichtenstein. Fica situado na Villa Alsberg, uma moradia com vista para Museumplein, projetada em 1904 por Eduard Cuypers.


„Art should comfort the disturbed and disturb the comfortable.“ —  Banksy
„Some people want to make the world a better place. I just wanna make the world a better-looking place. If you don't like it, you can paint over it!“ —  Banksy

Ainda deu para brincar no jardim e ver o pôr do sol. No caminho de regresso fomos vendo as luzes a acenderem, os prédios a ganharem uma cor diferente que até parece que ganham vida. O jantar seria na Spui, desta vez no The Seafood Bar. A Spui é uma praça que fica no seguimento da rua do nosso hotel - Spuistraat, sendo uma das mais animadas. Trata-se de uma zona cheia de restaurantes, cafés e bares, lojas de arte, livrarias e fica muito perto da Universidade. É também na Spui que temos acesso ao bairro Begijnhof. No número 34 de Begijnhof podem ver a casa mais antiga de Amesterdão, que data do início do século XVI e é uma das duas únicas casas que restam na cidade com fachada de madeira. A Capela de Begijnhof - Engelse Kerk, tornou-se a primeira igreja clandestina da cidade.

Última noite na cidade, merecia mais uma voltinha...Red Light District.



4º dia


O último dia seria dedicado ao Bairro Joordan e à casa de Anne Frank.

Saímos cedo em direção à Anne Frank Huis. Bilhetes comprados online (única forma de comprar neste momento, com hora definida de entrada). Funcionou muito bem e sem filas de espera.

Quase 2 horas de emoção onde fiquei com nós na garganta e tive que morder as bochechas para não chorar.

Apesar de tudo eu ainda creio na bondade humana.
Anne Frank

Depois era passear pelo famoso Bairro Joordan. Atravessar os canais, percorrer as 9 straatjes - Sabem quais são? (Hartenstraat, Wolvenstraat, Huidenstraat, Reestraat, Runstraat, Berenstraat, Gasthuismolensteeg, Oude Spiegelstraat, Wijde Heisteeg), passar nas De drie Hendricken - Bloemgracht 89, 1016 KH, visitar o Museu do Queijo, almoçar e ir comer o famoso bolo de maça no Café Winkel 43 - Noordermarkt 43. Façam o que fizerem, não percam esta delícia. Maravilhoso, para gulosos como eu! Almoçámos no La Perla Pizzeria, Tweede Tuindwarsstraat 53, 1015 RZ .