• @ara

Florença e Bolonha, cidades cheias de história e que enchem a vista!

Atualizado: 18 de Nov de 2018


Florença, a antiga capital de Itália é uma cidade cheia de tudo e de todos: história, arte, igrejas, segredos, luxos, riqueza, turistas, artesãos, cidade de Dante, Miguel Ângelo, Leonardo da Vinci, Brunelleschi, dos Medicis, de Salvatore Ferragamo e de tantos outros génios que espalham magia pela cidade. Como é que é possível uma cidade tão pequena ter tanto para nos dar!? Uma verdadeira perdição...em cada esquina, em cada praça, em cada monumento, em cada loja, em cada gelataria, em cada restaurante (dizem que aqui a gula não é pecado...pois claro que não, senão eu era herege)!

Vim de lá com a sensação que basta andar a pé pela cidade para ver Florença, sim porque para visitar alguma coisa perde-se tempo, muito tempo. São horas de filas de espera e uma imensidão de turistas. Aliás, acho que só vi turistas em Florença...por onde andarão os Florentinos?

E no meio desta intensidade e confusão, há sempre uma zona que nos faz respirar a calma que ainda se consegue sentir ... o rio Arno, que como qualquer rio ou mar nos faz parar e nos arranca aquele sorriso.


Bolonha, famosa pela sua Universidade, é uma cidade tosca, rústica, genuína, com umas belas cores, poucos turistas e muito acolhedora. Bastaram umas horas a passear pelo centro histórico para perceber que para a próxima fará sentido passar uma noite por aqui.


Roteiro de 4 dias


O 1º dia foi para sentir a cidade. Passear pelas ruas, perceber a dinâmica e ir vendo o que fosse possível.

Saímos do hotel e seguimos para o Mercado Centrale, local ideal para comprar os produtos típicos italianos no piso zero e para degustar as maravilhosas iguarias nos 2 pisos superiores. Opções não faltam para uma boa refeição ou simplesmente para um aperitivo antes do jantar.

Passámos pela bonita Basílica de San Lorenzo, a 1ª Catedral de Florença e símbolo da importância da família Medici no renascimento florentino, e seguimos em direção à Duomo.

E quando chegámos, não há como não parar, como não admirar, como não fotografar, como não respirar beleza. Acho que por ser tão bonita por fora, tão imponente, nos conseguimos abstrair do frenesim à sua volta.

Tempo para descansar a vista e fazer uma paragem para almoço. Optámos pelo Gustavino, e foi uma boa opção!

E lá fomos em direção ao rio...passando pela Piazza della Repubblica, Via degli Strozzi, Via della Vigna Nuova até à Ponte Carraia. Uau! Faz-se luz! Apesar da cor viva de tijolo predominante, Florença é cheia de ruas estreitas, labirínticas e escuras, por isso quem tem um rio tem tudo!

O nosso objetivo era experimentar um gelado por dia, por isso fomos diretos à Gelateria La Carraia. Sem dúvida que um bom gelado, aumenta o nosso bom humor!

Oltrarno, ou seja, a margem esquerda do rio Arno, é uma mistura de zona alternativa, chique e descontraída, e claro, cheia de monumentos, jardins, museus, palácios, lojas, ateliers e antiquários. As ruas principais são a Via Santo Spirito, Borgo San Jacopo e Via Maggio.

Já estávamos há algumas horas em Florença e ainda não tínhamos entrado em nenhuma Igreja...e entrámos na Basílica de Santo Spirito, situada na magnífica praça com o mesmo nome. A Basílica foi projetada por Brunelleschi e foi o seu último grande projeto. A sua construção foi iniciada em 1444, sobre os restos do convento dos Agostinhos do século XIII. Depois de sua morte, os  trabalhos foram continuados por Antonio Manetti, Giovanni da Gaiole e Salvi d’Andrea. A entrada é gratuita.

A próxima paragem seria o Palazzo Pitti para visitarmos os famosos Jardins Boboli. No entanto, não chegámos a horas de entrar. Para quem queira visitar o palácio e os jardins, recomendo compra antecipada dos bilhetes no site: https://www.uffizi.it/en, onde podem inclusive comprar um bilhete combinado com a Galeria Uffizi. Para os mais curiosos existe ainda a possibilidade de percorrerem o Corredor de Vasari, que liga o Palazzo Pitti ao Palazzo Vecchio, ou seja, liga a residência dos Medici à sede do Governo, passando pela Ponte Vecchio e Uffizi. Esta visita requer marcação prévia e não está sempre disponível.

Optámos por atravessar a Ponte Vecchio, já de luzes acesas. Um encanto de confusão.

E para acabar bem o dia, tínhamos que passar na Piazza della Signoria. E porque não ir já visitar o Palazzo Vecchio? Tínhamos comprado os bilhetes através do site: http://ticketsmuseums.comune.fi.it/ e não é preciso agendar dia de visita. A partir do dia da compra temos 6 meses para visitar o palácio, dentro do horário de funcionamento. Comprámos com hipótese de subir à torre (que não tem que ser feita no mesmo dia), mas acabámos por não subir. O Palácio é brutal e imperdível!

Acabámos o dia a jantar no Mercado Centrale! Molto Bene!


O 2º dia em Florença começou com a visita à Galleria dell’ Accademia! O David, o grande David de Michelangelo esperava por nós! Ele que enche uma sala, ele que nos deixa quase sem fala, espera por nós, não de braços abertos mas com uma pose monumental tão perfeita que quase parece real! Claro que a Galleria não é só David, mas apetece-nos ficar por ali perto a fazer-lhe companhia.

Comprámos os bilhetes através da GetYourGuide com hora marcada e funcionou bem.

Seguimos para a Piazza S. Marco que fica a 100 m para visitarmos a Igreja com o mesmo nome e ainda, antes do almoço, conseguimos visitar a Basílica de San Lorenzo. Infelizmente também não conseguimos visitar o complexo todo (Clautros, Tesouros, Biblioteca Laurenziana, Museu da Capela Medicee e Sacristia Nova) pois não tínhamos comprado bilhete. Mesmo para visitar só a Basílica é preciso bilhete. No entanto, existe uma porta lateral para quem quer rezar, por onde entrámos. Bastou para perceber que a simplicidade da fachada esconde totalmente a sua beleza interior.

Tínhamos almoço marcado no Buscheta Food & Wine Restaurant e por isso tivemos que acelerar o passo. Maravilhoso...recomendo Bistecca alla Fiorentina, Raviolone erborinato Scalogno caramellato e salvia fritta e Gnocchi Angeli e Demoni. Antes de nos pormos nas filas emblemáticas para a Duomo, ainda passámos por Santa Croce! Praça fantástica e uma Basílica Franciscana que promete muito, mas vai ter que ficar para a próxima! A entrada não é gratuita.

E eis que chega a vez da Duomo - Cattedrale di Santa Maria del Fiore ... 5 monumentos para ver (Dome-cúpula, Batistério, Campanile, Catedral e Museu), dos quais já sabíamos que só iríamos ver 4. A Dome é muito mais bonita por fora e para subir, vamos mas é subir os 413 degraus (só 25 pisos) da Campanile. Mesmo com bilhetes esperámos alegremente cerca de 1h e lá fomos nós! Deu alguma luta, mas como quase sempre, compensadora! E depois deste exercício, bora lá correr até ao Batistério, um dos edifícios mais antigos da cidade e simplesmente Lindo! Optámos por comprar um bilhete cumulativo, 18€ pessoa, com duração de 72h desde a 1.ª visita a 1 dos monumentos que compõem a complexo da catedral. Este bilhete permite alguma flexibilidade nas horas e dias - https://www.museumflorence.com/. No entanto, como já perceberam não impede que não estejam nas filas. Para subir à cúpula é que requer que agendem uma hora. Atenção, que esta subida é muito difícil...463 degraus, com zonas muito fechadas e estreitas. Aconselho a verem filmes no youtube antes de tomarem a decisão.

A subida à Campanile é tranquila. Existem 3 plataformas intermédias com janelas onde se pode descansar. A subida é arejada e apenas no último lanço é que existe uma zona mais apertada em carrossel.

Hora para aperitivo na Piazza della Signoria no Caffè Rivoire! Voltas e mais voltas pelas ruas labirínticas, estreitas e escuras, queríamos ir jantar a um dos restaurantes Cibrèo, mas como não tínhamos reservado, acabámos a noite a jantar no Eataly!Cool! As pizzas são boas!


O 3º dia e último em Florença prometia ser intenso. Começou às 10h00 com a Galeria degli Uffizi, claro que com os bilhetes comprados previamente através da GetYourGuide, mas a confusão é maior do que na Accademia. Aqui, quem não comprar bilhete previamente arrisca esperar 6h na fila. Sim, isso mesmo! E a fila é grande. A visita é demorada, mas depende do tempo que querem dedicar ao tema...50 salas com cerca de 1500 obras, é só o museu de arte renascentista mais importante do mundo. A acrescentar ainda têm uma vista privilegiada para a Duomo e Piazza delle Signoria no terraço da cafetaria e das janelas dos corredores vistas magníficas do rio Arno. Contem com 2h a 3h de visita.

Tínhamos ainda o resto da Duomo para visitar e lá fomos cheios de vontade para passarmos mais umas horas em filas. Mas graças a Deus, o Inferno chamou por nós e fomos parar ao Bairro de Dante. Esfalfados, decidimos passar a multidão de chineses que vinha num tour e em plena Via Santa Margherita, deparamos-nos com o Da' Vinattieri, simplesmente divinal!

Para comer de pé, ou nos poucos bancos que existem na rua. Tem as famosas sandes de tripas à Fiorentina, mas nós deliciamo-nos com os Paninis. São feitos na hora e custam 4€. Também vendem cerveja e vinho a copo para acompanhar, mas nós optámos por ir comprar o vinho à Antica Bottega D.A 1264, que fica mesmo em frente. Não percam!

Agora sim, estávamos em condições de avançar para a Catedral, sem antes experimentar um Gelado na GROM.

As filas são tão grandes que dão volta à Catedral, mas pensando bem, até tem a sua graça...há melhor forma de admirar a sua maior beleza, que é o exterior? Se fosse rápido ninguém olhava ao pormenor. Mais, podemo-nos ir revezando, para ir beber um café, ir à casa de banho, comer um gelado ou um chocolate. Não é por acaso que a loja da Lindt está onde está. Podemos por a conversa em dia, ou no nosso caso, tentar reservar uma mesa para jantar...e assim passou 1 hora. O interior da cúpula, da autoria de Giorgio Vasari and Federico Zuccari, é realmente fantástico, mas para mim a Catedral é muito mais bonita por fora. Visitámos também a Cripta, onde se encontram os vestígios da anterior catedral - Santa Reparata e acabámos por não visitar o Opera Duomo Museum.


Acho que Florença não fica vista sem uma ida à Piazzale Michelangelo, pelo que em modo, pernas para que vos quero, voámos até à outra margem...uns de taxi e outros a pé, conseguimos chegar antes que as luzes se acendessem. Depois já não houve pernas para subir a escadaria para a Igreja di San Miniato al Monte e era hora de Aperitivo! Nada melhor que estar em San Niccoló - bairro cercado por muralhas, que fica aos pés da Piazzale Michelangelo, para o fazer. Passámos a Porta San Miniato e parámos logo na Via de San Niccoló na Osteria Antica Mescita San Niccoló. Seguimos depois para um 2º aperitivo no Le Volpi e L’Uva.

Acabámos por conseguir uma mesa para a Trattoria Vecchio, não era a 1ª escolha, mas foi um jantar muito simpático. Como o nome indica, fica próximo da Ponte, mesmo junto ao rio. No final, seguimos pelo rio até à Ponte Trinitá e virámos para a Via de' Tornabuoni, boa para fazer de noite para admirar as grandes montras das grandes lojas de marca. Logo no início da rua fica o Museo Salvatore Ferragamo.

Demos uma volta maior para passar na Basílica de Santa Maria Novella e na estação de comboios onde teríamos que estar na manhã seguinte.


E assim terminavam os nossos dias em Florença, a cidade Museu. Claro que ficava mais dias a vasculhar a cidade e os seus arredores. Há sempre coisas que ficam para trás, mas é isso que nos mantém o sonho de querer voltar.

Só há um conselho que vos deixo: Florença não se vê a correr e de tempo contado, por isso deixem-se ir e naveguem à deriva.


Hotéis

- Pallazzo Castri 1874 - onde ficámos instalados e recomendo

Piazza della Indipendenza, 7 - https://www.palazzocastri.com/


- Plaza Hotel Lucchesi - http://www.hotelplazalucchesi.it/pt/index.php

- Hotel Lungarno - https://www.lungarnocollection.com/hotel-lungarno

- NH Collection Firenze Porta Rossa - https://www.nh-hotels.com/hotel/nh-collection-firenze-porta-rossa?gmb=new

- Grand Hotel Cavour - https://www.albergocavour.it/?utm_source=GoogleMyBusiness&utm_medium=referral&utm_campaign=GoogleMyBusinessCTA

- Continentale - Lungarno Collection - https://www.lungarnocollection.com/continentale-hotel


Restaurantes

- La Buchetta Food & Wine Restaurant - https://www.labuchetta.com/

- I ’ Tuscani 2/3/4 - https://ituscani3.com/

- Ristorante & Wine Bar dei Frescobaldi - http://www.frescobaldifirenze.it/

- Gustavino - http://www.gustavino.it/it/gustavino-bisteccheria-fiorentina-duomo/

- Cibrèo - http://www.cibreo.com/#benvenuti

- Trattoria Vecchio - http://www.trattoriapontevecchio.com/

- L’ Osteria di Giovanni - http://www.osteriadigiovanni.com/

- La Ménagère - http://www.lamenagere.it/

- Mercato Centrale - http://www.mercatocentrale.it/

- Olio & Convivium - http://www.oliorestaurant.it/video.php

- Gucci Osteria da Massimo Bottura, no Museu Gucci - https://www.gucci.com/int/en/store/osteria-bottura?utm_campaign=retail_storepages_marcomm&utm_source=yext_it&utm_medium=storemarketing&utm_content=Osteria

- Eataly - https://www.eataly.net/it_it/negozi/firenze

- Boccanegra - https://boccanegra.com/

- La bottega del buon caffè, 1 estrela Michelin- https://www.borgointhecity.com/it/


Os típicos Panini - street food

- Da' Vinattieri - https://www.facebook.com/davinattieri/

- Nobile Bistro - https://www.facebook.com/nobilebistro

- Panini Toscani - https://www.facebook.com/paninitoscani/

- La Schiaccia della Signoria - https://www.facebook.com/laschiacciadellasignoria/?utm_source=tripadvisor&utm_medium=referral

- All' Antico Vinalo - http://www.allanticovinaio.com/it/


Outras sugestões para Aperitivo:

- Odeon BistroIl Santino - http://odeonbistro.it/

- Le Volpi e L’Uva - https://www.levolpieluva.com/home-english

- Mercato Centrale - http://www.mercatocentrale.it/

- Rivoire Café - http://www.rivoire.it/en/catalogo.aspx

- La Terrazza, rooftop bar - Hotel Continentale - https://www.lungarnocollection.com/it/la-terrazza-lounge-bar

- Café delle Oblate - https://www.facebook.com/caffetteria.delleoblate/

- Osteria Antica Mescita San Niccolo - https://osteriasanniccolo.webnode.it/


Gelatarias

- La Carraia - http://www.lacarraiagroup.eu/

- Vivoli - http://vivoli.it/en/home-2/

- Grom - https://www.grom.it/

- Dei Neri - https://www.facebook.com/gelateriadeneri/


Lojas

Mais uma vez, como é que uma cidade tão pequena pode ter tanta e variada oferta de lojas e mercados de rua. Há para todos os gostos e carteiras, desde os produtos gastronómicos, às peças em couro que impregnam a cidade com o seu cheiro, às jóias e objetos de arte, roupa e calçado, artigos de papelaria, perfumes, os típicos souvenirs e tudo o que possam imaginar.

Para além das papelarias, que entro em quase todas, que têm folhas, cartões e material de escritório de cortar a respiração...gostei especialmente de uma loja de perfumes que recomendo: Acqa dell' Elba. Papelarias deixo aqui uma das mais conhecidas: Il Papiro.


Florença faz-se bem a pé, mas em caso de urgência se precisarem de um taxi liguem +39 0554242. Têm tarifas fixas do aeroporto para a cidade, bem como para outros locais.


4º dia

Para otimizar o fim de semana, decidimos ir passar o último dia a Bolonha. Estávamos a 35 minutos de uma viagem de comboio. Comprámos os bilhetes na Italo - https://www.italotreno.it/en e partimos de Florença Santa Maria Novella de manhã cedo, com destino a Bolonha Centrale.

Ao sair da estação, a cerca de 200m, já na Via dell'Indipendenza, deixamos as malas no Depósito de Bagagem da Estação Central Bolonha.

Com o objetivo de chegar à Piazza Maggiore, que é o coração de Bolonha, fomos meio perdidos seguindo os Pórticos que caracterizam a cidade. E apetece mesmo perder-nos. São lindos. Diz-se que dentro do centro histórico da cidade, podemos caminhar cerca de 40 km de corredores todos diferentes. Chegámos então junto das duas torres mais importantes da cidade: a Torre Asinelli e a Garisenda. Estas torres são um dos símbolos da cidade. Se quiserem subir 498 degraus de escadas de madeira, provavelmente estreitas, podem subir a Torre Asinelli. A Torre Garisenda é menos alta e não pode ser visitada.

E eis que nos aparece a grande Praça, famosa pela Fontana di Netuno e pelos antigos edifícios medievais: o Palazzo Comunale, o Palazzo dei Bianchi, a enorme Basílica de San Petronio e o Palazzo del Podestà.

Visitámos a Basílica dedicada a São Petronio, que é o santo padroeiro de Bolonha. A igreja é gótica e destaca-se pela sua fachada inacabada. A entrada é gratuita.

Seguimos para a Praça Galvani, onde se encontra o Archiginnasio, a biblioteca pública mais importante de Itália, pela qualidade e prestígio do seu património. O prédio, foi em tempos o edifício principal da Universidade de Bolonha e agora é onde se encontra o famoso Teatro Anatómico. Como disse uma amigo meu: agora até voltava a estudar, mas aqui!

Continuámos a andar em direção ao Mercado Velho - Mercato di Mezzo e Quadrilátero envolvente. Como era domingo estava muita coisa fechada. Mas valeu apena conhecer.

Já a olhar para o relógio, ainda houve tempo para um almoço na Osteria dell’Orsa - Via Mentana, 1. Não podíamos sair de Bolonha sem experimentar um Ragú - esparguete à Bolonhesa. Para sobremesa peçam salame! Aqui sentimo-nos em casa!

Outras sugestões para almoço seria o mercado ou a Osteria del Sole.

Teremos que voltar!




CIAO!


0 visualização

© 2018 by Rita Aguilar. Proudly created with Wix.com